COVID-19, Informativo

Variante Ômicron

Ômicron

A nova variante do coronavírus foi reportada para as autoridades no dia 24 de novembro de 2021, sendo descoberta na África do Sul.

Dois dias depois de ser reportada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificou a variante B.1.1.529 como “preocupante” e escolheu o nome Ômicron para ela.

O que se sabe sobre ela?

Até agora, pouco se sabe realmente sobre essa variante, devido sua descoberta tão recente.

Evidências mostraram que ela pode facilitar a reinfecção, principalmente.

Ela é muito transmissível, porém, não se sabe ainda se ela é mais ou menos transmissível do que a variante delta, que foi classificada como altamente transmissão também.

Todos os continentes registraram casos da nova variante. O Canadá foi o primeiro país do continente americano a reportar um caso de COVID-19 da variante ômicron.

No Brasil, foram identificados seis casos até o dia 4 de dezembro, mas, felizmente todos os pacientes estão vacinados e sentem sintomas leves.

As medidas que já estavam sendo tomadas (máscara, distanciamento, higienização) se mostram eficazes contra todas as variantes encontradas: alfa, beta, gama e delta, e agora a ômicron também.

As companhias farmacêuticas têm realizado testes para testar a eficácia das vacinas já utilizadas contra a nova variante.

Até então, sabe-se que nenhum dos pacientes que foram infectados pelo vírus teve resultado grave ou fatal, no mundo todo o que é uma boa notícia.

O que ainda não se sabe?

Ainda há muitas dúvidas sobre essa nova variante.

Não se sabe ainda se ela é mais ou menos transmissível do que a variante delta, nem se ela pode levar à casos graves e/ou morte.

Também não é possível afirmar que ela pode ser derrotada por todas as vacinas existentes, ou se ela apresenta algum tipo de resistência.

A variante ômicron no Brasil

No Brasil, o Instituto Adolfo Lutz confirmou os dois primeiros resultados positivos para a variante no dia 30 de novembro.

Sabe-se que ela veio junto com dois passageiros vindos da África do Sul.

O teste foi feito pelo Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Depois disso, novos casos foram reportados nos dias seguintes.

Todos os pacientes passam bem, sentem sintomas leves e todos já haviam sido completamente vacinados.

Mesmo que se declare que a variante é muito transmissível, é difícil afirmar com total certeza, pois a África do Sul é um país com a vacinação bem lenta e poucas pessoas totalmente vacinadas, o que contribui para um maior número de infectados.

Na África do Sul apenas 24% da população tem o esquema de vacinação completo até agora.

Fonte: G1

Máquinas de Termovaporização e a Variante Ômicron

Como mencionado ao longo do texto, a variante ômicron foi considerada muito transmissível do COVID-19, por isso, é essencial manter os cuidados necessários para evitar seu contágio. Uso de máscaras, álcool em gel e distanciamento social ainda são indispensáveis, mesmo se você já estiver imunizado com as duas doses da vacina.

Uma outra medida de proteção que pode ser implementada no dia-a-dia é o uso das máquinas de termovaporização da SKYPIX.

Máquina de Termovaporização

Com 99%> de eficácia na eliminação de bactérias e vírus, incluindo o vírus da COVID, a termovaporização é uma forma inovadora de desinfecção de ambientes, que libera um jato aquecido (vapor), com micropartículas desinfetantes, e é efetuado através de um sistema de super aquecimento dos líquidos em seu reservatório.

A Máquina é pequena, portátil e muito fácil de usar. Além disso, sua solução desinfetante rende mais de 200 aplicações. Proteja-se do COVID-19!

A pandemia ainda não acabou!

Saiba mais CLICANDO AQUI.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *